Aller à la page d'accueil. | Aller au contenu. | Aller à la navigation |

 
Acções do Documento

Testemunho de uma Oblata Religiosa

"Quando Jesus ia passando, viu a Levi, filho de Alfeu, sentado na coletoria, e disse-lhe: Segue-me. E ele, levantando-se, seguiu-O". (Mc 2,14)


Viver a Vida Religiosa hoje, é deixar-se tocar pelo olhar de ternura de Jesus que nous chama e ousar segui-LO num ababndono total sem medo dos obstáculos, porque Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida.
 

Neste mundo em movimento, o Seu chamamento nos apressa. Temos que correr o risco da nossa vida par ser testemunhas do Seu Amor, fermentos de unidade, dá-LO a conhecer aos Homens. Ele escolheu-nos para sermos seus amigos e envia-nos a onde ele quer que vamos.
Este dom que fazemos de nós-mesmos na radicalidade chama-se Oblação, é a oferta de si próprio.Esta Oblação é vivida no Instituto de diversas maneiras segundo os chamamantos. Em comunidade, partilhamos as alegrias e as dificuldades de cada uma num verdadeiro encontro fraterno.
 

Como Jesus, tentamos estar sempre disponiveis para amar aqueles a quem queremos testemunhar do Amor infinito de Deus, no respeito das diferenças, afim de viermos a nossa consagração numa grande liberdade interior, segundo o voto de castidade.
 

A exemplo de Jesus que nasceu pobre e viveu uma vida simples em Nazaré, metemos toda a nossa confiança Naquele que é a Fonte de todo o dom sem desejarmos possuir ou dominar. Este espiríto de pobreza faz-nos agir e lutar pela justiça, para dar aos pobres a sua dignidade, ser solidárias com eles e entrar na lei comum do trabalho.

«O Meu alimento é fazer a vontade Daquele que me enviou e de continuar a sua Obra» diz Jesus. Nós também procuramos viver na disponibilidade, procuramos viver a vontade do Pai através de multiplas mediações: a Biblia, a Igreja, o mundo, os acontecimentos, a congregação. Pelo nosso acto de fé, participamos da missão de Cristo: "Vamos a onde somos enviadas.
 

Neste mundo destruido pela violência, divisões, temos de procurar a unidade entre nós e à nossa volta. Desejamos viver a nossa Vida Religiosa na confiança em deus, confiança esta que se mantém pela fidelidade à oração e aos sacramentos.
 

                                                                                             Ir. Viviane